Português que vivia “pelado” em Cedral é um dos maiores fabricantes de barcos catamarãs

0
14280

AQUILES EMIR

Natural de Lisboa (Portugal), Manoel Jorge Gaspar da Silva, 84 anos, mais conhecido como seu “Seu Manelis”, faz do Maranhão, mais precisamente o município de Cedral, no litoral norte, uma referência na construção de barcos, sendo sua especialidade as embarcações de estilo catamarã. Por muitos anos, ele foi conhecido como o “homem nu”, pois desde que se fixou nessa região do estado, criou o hábito de não usar roupas, porém o que mais fazia ser procurado é a especialidade de fabricar embarcações e sua clientela está espalhada por todo o Brasil e outros países.

“Seu Manelis” foi entrevistado pela revista Maranhão Hoje, que traz ampla reportagem sobre ele na edição de fevereiro (nas bancas), à qual disse que decidiu sair de Portugal, em 1964, por não concordar com o regime de exceção de Antônio Oliveira Salazar, mas, por ironia do destino, quando chegou ao Brasil estava sendo instalada a ditadura militar, mas isto não afetou o seu desejo de liberdade. Em Cedral, montou na praia do Faraó (próxima a Outeiro) um pequeno estaleiro, onde trabalhava totalmente nu. Roupas só serviam para ir à cidade e quando precisava renovar o visto de permanência no país na Polícia Federal.

Por algum tempo, viveu na Ilha de Bate Vento, em Cururupu, onde aprendeu a usar o arco e flecha e tinha uma regra estranha: qualquer animal que adentrasse sua propriedade, independentemente de quem fosse, tinha o direito de abater e comer, fosse porco, galinha, pato, cabrito etc. Depois voltou a residir em Cedral e nos últimos tempos voltou a usar roupas, até porque a sua residência e seu estaleiro estão agora encravados numa pequena vila, que em breve poderá se tornar um grande centro de visitação turística após as intervenções que estão sendo feitas pela Prefeitura Municipal.

Construtor – Manoel Gaspar sempre gostou de barcos, embora trabalhasse em outras áreas, como auxiliar de escultura, e tinha muita vontade de fazer uma embarcação, e fez, mas a primeira viagem foi mal sucedida, e por pouco não naufragou. Foi salvo por agentes da alfândega, e por pouco não foi preso, já que a embarcação não tinha as documentações exigidas para esse tipo de veículos. O trabalho com escultura, acredita, pode ter contribuído para a qualidade dos barcos que hoje produz, reconhecidos pela beleza e pela qualidade em termos de segurança, nacional e internacionalmente.

Manoel Gaspar não sabe precisar quantos filhos tem, mas com Vita, sua atual companheira, conta nove, dentre eles Araí Marques da Silva, de 33 anos, que vem sendo preparado para sucessor, sendo, inclusive, o novo responsável pela linha de produção no estaleiro. Araí diz que tudo que aprendeu sobre embarcações foi ensinado pelo pai.

Desde que veio para o Brasil voltou a Portugal apenas duas vezes e não demonstrar sentir saudades do estilo europeu de viver, prefere a tranquilidade do lugar que escolheu para viver, tendo como vizinhança pessoas simples e fazendo o que mais gosta. Além de construir barcos, navegar e se considera um bom capitão, conhece todos os atalhos do mar, rios e riachos da região.

Compartilhe
Aquiles Emir
Editor chefe da Revista e do site do Maranhão Hoje. Sócio-proprietário da Class Mídia – Marketing e Comunicação